Palestras: ► Planejamento Financeiro Pessoal                     ► Redução de Custos

Página Principal
Quem somos
Fale conosco
Cursos
Palestras
Cadastre-se
Cursos a Distância (EAD)

Próximos treinamentos presenciais (Rio de Janeiro)
 Matemática Financeira

Gestão Financeira

Gestão de Tesouraria

Artigos
Análise
Seu bolso
Estudos
Índices
Planilhas

Desenvolvimento  Profissional

Financiamentos

Mercado Financeiro

Operações Financeiras de Tesouraria

Planejamento Financeiro

Cálculos Financeiros com a HP-12C

Redução de Custos

Formação de Preços

Finanças da Pequena Empresa

Saneamento Financeiro

Saneamento financeiro

O saneamento financeiro de uma empresa tem como objetivo básico ajustar suas finanças para salvá-la do colapso e permitir um funcionamento normal.

A implantação de um programa de saneamento financeiro começa com a identificação das causas do desequilíbrio financeiro. Nesse sentido, a primeira questão a ser respondida é se a empresa é realmente viável. Considerando metas factíveis de vendas e custos, a empresa poderia aspirar a um patamar razoável de rentabilidade?

Uma vez que muitas empresas são abertas sem uma análise econômica prévia, diante de uma crise financeira é importante verificar se a viabilidade econômica não dependeria de metas de vendas ou custos inatingíveis.

Então, diante de quadro financeiro adverso, a empresa precisa fazer uma análise inversa que informa qual o volume de vendas e o nível de custos necessários para gerar uma taxa de rentabilidade razoável para o capital próprio.

Para a maioria dos agentes econômicos, a taxa razoável de rentabilidade sobre o capital próprio é 15% ao ano. Este percentual também representa a rentabilidade real média de longo prazo do capital próprio das empresas.

Caso a empresa tenha algum endividamento, será necessário também analisar a rentabilidade do capital após os impostos e antes do pagamento dos juros. A existência de resultado positivo após os impostos e antes dos juros, mas que se transforma em prejuízo após a inclusão desses últimos, indica que o problema da empresa é de origem financeira, por exemplo, um alto grau de endividamento ou a existência de linhas de crédito com taxas de juros elevadas. Em alguns casos, esta situação foi causada por um problema de sazonalidade de vendas ou mesmo de custos. Como a empresa não tinha instrumentos de controle financeiro, não fez um planejamento financeiro adequado e, por isso, mergulhou num quadro de crise financeira.

O fato é que, somente se for confirmada a viabilidade econômica da empresa, fará sentido a adoção de um processo de saneamento financeiro. Desse modo, o saneamento financeiro consiste na implementação de um conjunto de medidas com o objetivo de melhorar as principais variáveis financeiras da empresa.

No momento zero do plano de saneamento financeiro, deverá ser buscado um alongamento não oneroso dos passivos financeiros da empresa. O objetivo dessa medida é diminuir a pressão sobre o caixa, mas sem que isso traga restrições ao normal funcionamento da empresa.

Negociação com fornecedores visando obter melhores condições de prazo e substituição de linhas de crédito por outras de prazo mais longo são as medidas mais eficazes.

Qualquer redução do ciclo de caixa (visando retardar as saídas de caixa e antecipar as entradas) com medidas operacionais também são muito eficazes para o saneamento financeiro, já que a necessidade de capital de giro será encolhida.

Uma medida também muito eficaz é a venda de imóveis e seu aluguel  subsequente (sale lease-back). Quando esta decisão não trouxer restrição operacional, permitirá que o produto da venda seja usado na liquidação de empréstimos. Com isso, o custo financeiro terá uma forte redução, já que o aluguel representa no máximo 12% ao ano do valor do imóvel. Para a maioria das empresas, o custo dos empréstimos bancários é bem maior do que esse percentual.

Depois de reduzir as saídas de caixa e alongar o prazo de vencimento da dívida, a empresa deverá buscar reduzir o estoque de sua dívida. Quando uma crise financeira se instala numa empresa, seu grau de endividamento normalmente está bem acima do recomendável.

Decisões que possam acarretar elevação do risco financeiro da empresa deverão ser descartadas. Assim, projetos de expansão, por exemplo, deveriam ser provisoriamente postergados.

Uma vez saneadas as finanças da empresa, ela poderá começar a fazer pequenos investimentos produtivos e programas de redução de custos.

A visão de saneamento financeiro aqui apresentada indica que ele dá melhores resultados quando é implementado isoladamente. Programas mais ambiciosos como, por exemplo, "turn around", dependerão de um prévio saneamento das finanças da empresa.

É possível implementar um plano de saneamento financeiro juntamente com um programa de recuperação de vendas e lucratividade. Entretanto, a jornada dupla terá um um grau de risco bem mais elevado e exigirá um esforço de análise bem maior por parte da administração.

Copyright ©  IEF - Instituto de Estudos Financeiros. Todos os direitos reservados.

 IEF - INSTITUTO DE ESTUDOS FINANCEIROS -   27 anos de atividade em treinamento.